Robôs colaborativos: novos aliados das Engenharias

Há 60 anos foi usado o primeiro robô na indústria e, desde então, eles se tornaram muito importantes para a automação do setor e agora passam por uma revolução. A robótica colaborativa promete colocar os robôs ao lado dos humanos somando forças na busca de soluções. Esta aliança é uma novidade que muda as operações industriais.

O tema foi tratado durante palestra do curso de Engenharia de Controle e Automação no 3º Circuito do Ciência em Casa. Entusiasta e apaixonado por automação industrial com experiência em expansão de tecnologias de ponta, o engenheiro eletricista Gustavo Tozzo falou sobre o tema durante o evento no YouTube da PUC Goiás e compartilhou a experiência como gerente de desenvolvimento de negócios na Universal Robots, líder de mercado em robótica colaborativa. 

Gustavo Tozzo

Foi a primeira vez que o tema foi tratado na PUC Goiás. Apesar de já estar presente em várias indústrias, os cobots ainda não são uma realidade no Brasil. “Este é um tipo de robô que vai unir a máquina e o ser humano”, explica o professor Vitor Hugo Martins e Resende, coordenador do curso de Engenharia de Controle e Automação. 

Os cobots, como são chamados os robôs colaborativos, devem dominar a operação industrial nos próximos anos. Mais leves e com limitações de velocidade e forças geridos por sensores, eles devem ser considerados colegas de trabalho e dividir os postos com os humanos.  

Segundo Tozzo, esta nova modalidade de robôs apresenta mais flexibilidade e permite que ele possa estar integrado ao trabalho humano com mais facilidade, incluindo aplicações em níveis compactos e espaços reduzidos. “Os cobots têm uma programação intuitiva, interface amigável, instalação menos complexa quando comparada a outros tipos de robôs industriais”, explica.

Quem pode trabalhar com robôs?

São várias as Engenharias que trabalham diretamente com robôs. Na PUC Goiás, os cursos de graduação em Engenharia de Controle e Automação, Engenharia Elétrica e Engenharia de Produção, além do Mestrado em Engenharia de Produção e Sistemas. Na Escola de Engenharia, os alunos contam com laboratório com braço robótico construído dentro da universidade e também um minirobô, que colocam em prática o conhecimento teórico sobre robótica. A disciplina é obrigatória para a Engenharia de Controle e Automação. 

A PUC Goiás está com inscrições abertas para os processos seletivos de 43 cursos de Graduação, incluindo os da Escola de Engenharia. São mais de 4 mil vagas entre licenciaturas e bacharelados com ingresso em 2021/2. Para mais informações, clique aqui. 

Leia Mais
Semana do Design conecta estudantes com o mundo do trabalho