Metodologias ativas: o desafio para os futuros professores

Independente da área, os futuros professores não vão tratar as metodologias ativas como novidade. Elas já deverão fazer parte da docência e do dia a dia da educação. O tema será abordado em diversos eventos no 3º Circuito do Ciência em Casa, organizado pelas escolas da PUC Goiás, durante o mês de maio.

Desafiados por uma nova geração de estudantes, quem escolheu a docência como carreira já começa na universidade os primeiros passos para tornar o ambiente de ensino mais interativo e libertador. 

Em live realizada no último dia 4, o professor doutor Jancarlos Lapa, pró-reitor de Ensino do Instituto Federal da Bahia, falou sobre o uso das metodologias no ensino das ciências. O evento foi organizado pela Escola de Ciências Exatas e da Computação e focou o ensino das disciplinas de Matemática, Física e Química.  

“A educação foi desafiada a dar algumas respostas no que tange às atividades remotas diante deste contexto pandêmico”, afirma o professor. Mas, para ele, o desafio está na próxima geração de estudantes, que já nasceu com computadores no quarto e acesso a smartphones. “Eles estão imersos no mundo das tecnologias e viram nelas a possibilidade de comunicação diferente da que tínhamos até então”, explicou o Jancarlos Lapa, que começou a carreira como professor do Ensino Básico. 

Para ele, os futuros professores precisam pensar a educação como ato comunicativo e em que emissores e receptores tenham a possibilidade de se manifestar bilateralmente. “Estamos falando de estudantes que não serão apenas receptores de informações, mas protagonistas, produtores de informações”.

As Metodologias Ativas, abordadas por Jancarlos na live no YouTube da PUC Goiás (acesse aqui), surgiram ainda na década de 1970, sobretudo valorizando o desenvolvimento de competências e habilidades. Mas passa por inúmeras mudanças que hoje buscam tornar o ensino um instrumento de libertação e que contribua na formação de pessoas que possam usar o trabalho como instrumento de transformação da sociedade.

Compreendendo a aprendizagem ativa

Para quem quer trabalhar na educação, será essencial compreender a aprendizagem ativa. 

Então, vamos nos atentar para a partilha do professor Jancarlos Lapa durante a live. 

  • 1 – A aprendizagem acontece inicialmente no campo pessoal, por isso é preciso que ela tenha ressonância íntima com o estudante;
  • 2 – É preciso criar situações concretas para a aprendizagem com processo indutivo ao conhecimento. Isso contrapõe o modelo de transmissão e avaliação uniformes do ensino tradicional;
  • 3 – O espaço de aprendizagem deve permitir práticas frequentes e ser rico em oportunidades. 

Conheça algumas Metodologias Ativas


  • Sala invertida
  • Aprendizagem por problemas
  • Aprendizagem por projetos
  • Aprendizagem por parte
  • Aprendizagem por gamificação

Oportunidade

Ainda sobre Metodologias Ativas, já vale colocar na agenda. Na próxima segunda-feira, 10, a Escola de Ciências Agrárias e Biológicas realiza palestra com o tema A importância das metodologias ativas no contexto atual. A live, na Plataforma Microsoft Teams, será ministrada pela dra. Gabriela Delord, que é docente nas universidades de Sevilha e Osuna, na Espanha. 

Segundo o professor Hélder Lúcio Rodrigues Silva, do curso de licenciatura em Biologia, o evento tem o objetivo de proporcionar ao aluno uma forma melhor de conhecimento e de transformação dentro da educação. “É preciso ir atrás de compreender como acontece a aprendizagem e mostrar isso para nossos estudantes”, afirma ele. 

As Metodologias Ativas já fazem parte do ensino na PUC Goiás nas aulas de diversos cursos da graduação. “São métodos que atraem a atenção do estudante e, principalmente, nas aulas que são só teóricas, conseguimos que eles participem mais e tenham  maior facilidade na assimilação do conteúdo”, conta Hélder sobre a sua experiência utilizando as ferramentas de aprendizagem ativa. 

Leia Mais
Filosofia: o desafio de ensinar o pensamento crítico