Iniciativas buscam apoiar estudantes em desafios do regime remoto

Iniciativas fora do cronograma marcam o período de quarentena. Com aulas no Regime Remoto Letivo desde março, vários estudantes encontram nos professores o apoio necessário para superar dificuldades. Enquanto as aulas são realizadas nas plataformas Teams e Moodle, no mesmo horário das aulas presenciais, professores se deparam com dificuldades que seriam resolvidas, em outro período, pessoalmente e agora precisam de solução a distância.

Foi o que identificou a professora Ana Flávia Garrotes às vésperas da prova que definiria a N1 na disciplina de Fundamento de Computação para calouros dos cursos de Ciência e Engenharia da Computação. “Eu percebi, que por mais que tenham as aulas, ainda tinham dificuldade. É uma disciplina com conteúdo de raciocínio lógico e demanda uma atenção diferente”, explica.

Ela realizou, fora do turno, um plantão de dúvidas e contou com a participação de 50% da turma. “Eles se sentiram mais acolhidos. Todos formos pegos de surpresa e não estamos acostumados a nova estratégia de ensino, então temos que estabelecer o diálogo e flexibilizar”, conta a professora, que também deu oportunidade para outros alunos fazerem a prova depois da data marcada.

Alberto Gabriel. Foto: arquivo pessoal.

Aluno da professora Ana Flávia, Alberto Gabriel, elogiou a iniciativa, que ajudou a tirar dúvidas antes da prova. Para ele, que é calouro de Engenharia da Computação, o papel dos professores neste período tem sido cumprido de forma “incrível”. “O calendário acadêmico está seguindo, então a gente não está sendo prejudicado, e eles estão sendo super atenciosos com a gente”, conta.

Estudante de Ciência da Computação, Lara Ferigatto, elogia os professores que buscam ultrapassar as barreiras virtuais para estarem próximos aos alunos. “Durante as aula eles são bem presentes, sempre atentos, se nós estamos ainda acompanhando e não só ali na reunião”. Ela acredita que o apoio dos professores é importante para superar as adversidades do novo regime, como conectividade, e que muitos se disponibilizar para tirar dúvidas depois das aulas. ”Temos um contato diferente com os professores que se disponibilizaram, tudo tem o lado bom, né?”.

Coordenadora do curso de Ciência da Computação, professora Carmen Centeno, avalia que muitos professores estão usando a quarentena para reinventar a maneira como se relacionam com os alunos e o feedback tem sido muito positivo. “Com a formação dos grupos utilizando tecnologia, os professores e coordenação estão em constante contato com os alunos para superar as dificuldades”. Ela conta que dão apoio para aqueles que têm dificuldades com a tecnologia e o acesso à internet e também oferecem motivação para todos.

Leia Mais
Estudantes da PUC participam de ação para testagem do novo coronavírus em Goiânia