Foto: Wagmar Alves

Acadêmicas da Agronomia lançam vaquinha virtual para empresa júnior

Você já conhece as mulheres de capa?! Além de fazer alusão ao empreendedorismo feminino, é uma sigla que nomeia a primeira empresa júnior da Escola de Ciências Agrárias e Biológicas (ECAB) da universidade, criada pelas acadêmicas do curso de Agronomia, Carla Camurat, Joyce Almeida, Kadine Maria, Jéssica Oliveira, Vitória Tavares e Yara Jessie, com orientação da docente Martha Nascimento Castro.

A Consultoria, Assistência e Projetos Agronômicos (CAPA) é uma iniciativa pioneira, que pretende mostrar a realidade do mundo do trabalho para os universitários, desenvolver técnicas e resultados para o produtor rural, além de ser uma fonte de pesquisa para o curso.

Engajadas com o projeto, as estudantes criaram uma vaquinha virtual com o objetivo de levantar recursos, que serão destinados às despesas e taxas relacionadas à abertura da empresa, que são inúmeras! Todo retorno financeiro será revertido em benefícios para a comunidade, com a oferta de workshop on-line gratuito e sorteio de brindes relacionados à CAPA.

E olha que maravilha: a empresa, cuja sede fica no Câmpus II (Jardim Mariliza), já está em fase de regularização, com a abertura do CNPJ e muitos projetos estão por vir. As empreendedoras do agronegócio são estudantes da primeira turma do curso de Agronomia e com essa iniciativa deixam um legado para as próximas gerações de estudantes.

Colabore com a iniciativa aqui: https://vaka.me/2089497

Projeto estudantil de horta orgânica alcançará a comunidade

A pró-atividade deste grupo de estudantes não para por aí! Elas já engatam outro projeto acadêmico, que alcançará toda a comunidade. Uma horta em formato de mandala, com folhosas, plantas medicinais e aromáticas será implantada no Câmpus II, como uma atividade de extensão.

“Decidimos expandir para a comunidade e mostrar que uma pequena área pode ser produtiva e cultivada de forma orgânica e natural. Queremos abrir cursos de forma on-line para que os estudantes e a comunidade vejam que é um projeto possível. Em um cenário tão difícil, ajuda a economizar na feira e em muitas coisas”, ressalta a estudante Joyce Almeida. O projeto, orientado pela professora Martha, conta com o incentivo dos docentes, Roberto Malheiros e Nicali Bleyer, ambos do Instituto do Trópico Subúmido (ITS).

As estudantes também escolheram algumas PANcs, que serão cultivadas na horta. Elas são plantas comestíveis não convencionais, desconhecidas pela maioria da população, mas encontradas facilmente no bioma Cerrado. As acadêmicas já tiraram as medidas, criaram o croqui do projeto e aguardam a implantação da horta, para dar início ao cultivo a partir do segundo semestre. No local também serão implantados um galinheiro e um viveiro de codornas.

Missão na Agronomia

Com tantas ideias tornando-se realidade, as estudantes trazem uma motivação a mais para implantarem esses projetos pioneiros: animar os colegas de curso, evitar a evasão e motivar os acadêmicos, mostrando as possibilidades do mercado de trabalho. Com visão de liderança, elas viram na crise um momento de oportunidade para crescer.

 “O Agro não pode parar. A gente já entra no curso pensando na missão de alimentar muita gente. É aquele ditado: se o interior não planta, a cidade não janta. Tudo depende muito do rural e do agronegócio”, enfatiza o grupo.

O olhar de cada estudante revela muitos sonhos. Seja na produção animal, consultoria no campo, adubação e manejo de plantas, paisagismo e floricultura, o curso de Agronomia da PUC Goiás prepara o estudante para diversas áreas de atuação. Você pode conhecer mais sobre o projeto pedagógico do curso aqui, que, inclusive, está com inscrições abertas para ingresso em 2021/2.

Fotos: Wagmar Alves

Leia Mais
Experiência profissional agrega ao exercício da docência