Foto: Ana Paula Abrão (Encontro de Bolsistas em 2019)

Universidade marca década com mais de 55 mil matrículas com o Fies

O Fies foi criado em 1999 pelo Ministério da Educação em 1999, mas passou por diversas mudanças desde então. Hoje, por exemplo, o estudante pode ingressar na universidade com o benefício, a partir de uma seleção com sua nota do Enem e a avaliação de sua condição socioeconômica. Na PUC Goiás, o programa já chegou a ter quase cinco mil estudantes com o benefício ao mesmo tempo, em 2014.

Somente na última década, entre 2009 e 2019, foram mais de 55 mil matrículas e renovações de estudantes beneficiados com este financiamento estudantil na PUC. A diminuição do incentivo por parte do governo federal a partir de 2015, no entanto, levou a universidade a investir em outras frentes para garantir a inserção e permanência de jovens das camadas mais populares, com iniciativas como o PODE PUC e o Vestibular Social.

“A partir de 2015, o Fies vem tendo gradativamente uma diminuição e penso que isso é muito ruim. Porque para aqueles estudantes que, de repente, não atendem os critérios socioeconômicos para terem uma bolsa, o Fies dava a condição para esse aluno e sua família terem esse pagamento do estudo feito posteriormente”, explica a pró-reitora de Graduação, professora Sonia Gomes Sousa.

Mesmo com a diminuição, porém, o Fies continua sendo uma opção importante para estudantes que têm bom desempenho no Enem mas que não se encaixam nos critérios exigidos pelo Prouni. Atualmente, 984 estudantes de graduação contam com esse financiamento na PUC Goiás. Ao todo, são mais de 11 mil estudantes com algum tipo de bolsa ou financiamento na universidade.

Leia Mais
13 coisas que você só descobre quando entra na universidade