Apresentações de trabalho melhoram currículo e fazem diferença nas seleções para iniciação científica e pós-graduação

A reprovação em um processo seletivo para a Iniciação Científica (IC) acendeu o sinal de alerta para o hoje mestrando em Ciências da Saúde Wátila de Moura Sousa, 25 anos. Interessado em ingressar na área da pesquisa durante a graduação em Fisioterapia pela PUC Goiás, ele se viu diante do desafio de melhorar o currículo.

O objetivo era conseguir uma bolsa do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica (Pibic), concedida pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Um ano e 10 apresentações de trabalho em congressos locais e regionais depois, ele chegou onde desejava.

A trajetória acadêmica turbinada seria fundamental para que Sousa ingressasse na pós-graduação, no primeiro semestre de 2015, logo depois de colar grau. “A universidade oferece muitos eventos científicos internos que dão a oportunidade para o aluno dar o primeiro passo. ‘Em casa’, o estudante que nunca passou por essa experiência, pode se apresentar com mais tranquilidade”, pondera.

Na iniciação científica, em projeto sobre a o caminho de Sousa cruzou com o da acadêmica de Fisioterapia Yasmin Amorim de Jesus, 22. Cursando o último período da graduação, ela estreou na apresentação de trabalhos no ano passado, durante o I Congresso de Ciência e Tecnologia da PUC Goiás.

Para Yasmin, o estudo e o treino antes do grande dia são fundamentais para sair bem diante de um público diversificado – que vai de estudantes de graduação a doutores. “Antes de apresentar, nós explicamos o trabalho para o grupo de pesquisa do qual faço parte, com mestrandos, doutorandos e alunos da iniciação científica. Ajudou muito, porque treinamentos com pessoas mais experientes, que passam dicas”, frisa.

Eventos abrem oportunidades

Apresentar um trabalho em um congresso científico pode abrir caminhos na carreira acadêmica e no mercado de trabalho. Essa é a opinião da pró-reitora de Pós-Graduação e Pesquisa da PUC Goiás, Milca Severino, e da coordenadora de Pesquisa, Priscila Valverde.

“Nas rodas de conversas, nas apresentações dos trabalhos acadêmicos poderão existir ‘olheiros’, e descobertas de talentos. Professores ou profissionais presentes podem registrar o desempenho excelente dos estudantes e lembrar-se deles para indicarem para trabalhos/empregos, para continuidade de estudos em níveis mais avançados, e muito mais”, dizem.

 

Janela de oportunidades

PUC VC: Quem está pesquisando – seja no começo da carreira ou em níveis mais avançados – divulga sua produção por meio de artigos. Mas a participação em congressos – ao vivo e em cores – também é importante. Gostaria que vocês comentassem um pouco sobre o papel dessa participação, como apresentador de trabalhos, na formação dos estudantes. 

A participação em eventos científicos como apresentador é importante tanto para o currículo do estudante quanto para a divulgação do conhecimento científico. Representa, também, uma importante oportunidade para o estudante praticar sua oralidade em público, a técnica de apresentação e como responder perguntas sobre o seu trabalho. Além disso, a participação em eventos abre possibilidades de intercâmbio e parcerias institucionais.

PUC VC: Temos eventos regionais, nacionais e internacionais. Quais as peculiaridades de cada um deles e o peso no currículo de quem participa e apresenta trabalhos?  

Quanto maior a abrangência do evento, maior é o peso no currículo. Desta forma, eventos internacionais tem maior peso. Entretanto, todos os eventos científicos são importantes. O estudante deve estar atento se o evento tem publicação de trabalhos por meio de Anais com ISSN (International Standard Serial Number), pois esse código internacional, que categoriza as publicações, deve ser usado ao inserir os dados no currículo na plataforma Lattes.   Cada evento tem seu escopo definido pela programação científica, quanto maior for a proximidade/relação do tema com o seu trabalho e com a sua área de estudo/curso, maior será a pontuação para o seu currículo.

PUC VC: Quais as dicas para quem está se preparando para participar de um congresso como apresentador de trabalhos? Medo não pode ir na bagagem, né?  

A preparação é fundamental. O estudante deve elaborar o pôster ou slides com antecedência, apresentar para o seu orientador e para outros colegas para que tenha segurança e receba contribuições para melhorar sua apresentação. O nervosismo é normal, especialmente nas primeiras vezes. É preciso encarar como um momento para aprendizagem. Na verdade, é um importante exercício acadêmico.

PUC VC: É importante aproveitar esses momentos para costurar um bom relacionamento com professores e colegas, com quem esse aluno pode cruzar em outros momentos da carreira acadêmica?  

Sim, claro! Nas rodas de conversas, nas apresentações dos trabalhos acadêmicos poderão existir “olheiros”, e descobertas de talentos. Professores/ profissionais presentes podem registrar o desempenho excelente dos estudantes e lembrar-se deles para indicarem para trabalhos/empregos, para continuidade de estudos em níveis mais avançados, e muito mais. Representa, sim, uma importante janela de  oportunidades. Quer ser bem sucedido? Aproveite as oportunidades que a sua universidade lhe oferece. Participe com afinco das atividades científicas.