Mergulhar em uma viagem por conta dos estudos exige cuidados básicos para se ter uma experiência inesquecível

Viajar para o exterior, independente do motivo, requer cuidados que variam de um país para o outro. Para isso, uma das regras básicas para aqueles que pretendem fazer intercâmbio no exterior é conhecer algumas leis e costumes para não ter problemas com a justiça e constrangimentos com a população local. Apesar das dificuldades, as universidades, tanto de destino quanto de origem, sempre passam dicas e orientações para que os estudantes tenham uma experiência enriquecedora.

Segundo o assessor de Relações Internacionais da PUC Goiás, prof. Paulo Gonzaga, não houve relatos de alunos que sofreram problemas relacionados à segurança nos países de destino nos últimos anos. Entretanto, ele pontua que, mesmo com um histórico favorável, os estudantes devem estar alertas.

“Nunca houve casos de assalto, roubo ou outro tipo de violência com os intercambistas porque os países que recebem nossos estudantes são muito seguros. Entretanto, são necessários aqueles cuidados que todos viajantes possuem, como não deixar o dinheiro na mala e não aceitar caronas de estranhos”, detalhou o professor.

Os estudantes de Administração, Gabriel Moraes Fleury, e de Publicidade e Propaganda, Bárbara Japiassú Filizzola, também compartilham da mesma opinião do prof. Paulo. Ambos fizeram intercâmbio para a Universidade de Coimbra, em Portugal, no segundo semestre de 2015, e viajaram por quase toda Europa. Eles garantem que não há muito com o que se preocupar, mas é necessário tomar algumas precauções.

“Apesar de não ter passado por grandes problemas, sempre é bom ter atenção em alguns detalhes. Pesquisar, reservar hotéis e ver mapas das cidades com antecedência auxiliam na tomada de algumas decisões. Esses procedimentos deixam os estudantes mais tranquilos”, aconselhou Bárbara, que viajou para o Reino Unido, França, Espanha, Alemanha, Holanda, Itália, República Tcheca e Áustria.

Gabriel também alertou que os brasileiros podem passar por alguns constrangimentos no país lusitano por conta dos costumes, como o excesso de formalidades. “É fácil se adaptar em Portugal, mas o estudante deve se lembrar de alguns pontos para não passar vergonha. O abraço, por exemplo, é informal e as aulas seguem o protocolo rigidamente”, alertou o estudante do 5º período de Administração.

Com o que devo me preocupar durante o intercâmbio?

Estados Unidos

Piadas com teor sexual podem ser vistas como assédio no país da América do Norte. De acordo com o prof. Paulo, houve casos de alunos brasileiros (nenhum da PUC Goiás) que responderam a processos judiciais até provarem a verdadeira intenção. Já na balada, os alunos devem saber os limites. “Não significa não! O estudante não deve insistir”, orientou o assessor de Relações Internacionais.

Chile

Consumir bebidas alcoólicas nas ruas brasileiras é algo normal, mas no Chile pode render muitas dores de cabeça com a justiça. Lá, a lei impede o consumo nas ruas, praças, parques e locais públicos. Caso um policial te encontre bebendo nesses locais, você pode parar na delegacia para prestar depoimentos. Além disso, os intercambistas devem seguir as orientações da universidade de destino sobre atitudes a serem tomadas em caso de terremotos e tsunamis.

Portugal

Portugal é um país tranquilo, seguro e que não oferece muitos riscos aos cidadãos brasileiros. Porém, as formalidades em terras lusitanas podem causar constrangimentos aos estudantes. Abraços são vistos como atos informais e impontualidades durante as aulas são responsáveis por situações constrangedoras.

Espanha

Ver filmes legendados em terras espanholas é uma missão difícil, quase impossível. Por lá, a maioria absoluta dos filmes nos cinemas são dublados. Além disso, é bom acostumar com nomes como Miguel Ángel, como é conhecido Michelangelo na Espanha. Lá, eles possuem o costume de traduzir até os nomes.

Reino Unido

Quanta confusão causa a mão inglesa na cabeça dos turistas! Os estudantes que tiverem a intenção e condições de dirigir no país, além dos cuidados normais no trânsito, não devem se esquecer de que as viagens são feitas pelo lado esquerdo para evitar acidentes e tumultos nas ruas britânicas.

China

Se você não quiser comer algo exótico, pense bem antes de comprar algo na rua, pois a carne pode ser de cachorro, rato ou escorpião. Além disso, os nomes são muito importantes na cultura chinesa, pois eles acreditam que a escolha trará sorte e fortuna para a criança. Por isso, é importante saber que os chineses são chamados pelo sobrenome e não pelo primeiro nome, diferente do que acontece no Brasil.