Nas páginas do livro, o estudante expõe sua alma e exercita outro lado profissional

Antes de se tornar psicólogo, provavelmente em 2020, o estudante João Felipe Silvério, 19 anos, concilia outro sonho com a realidade de estudante universitário. Acaba de lançar o primeiro livro de poemas, intitulado Codinomes espalhados pela cidade, em que reuniu os textos escritos na infância e na adolescência, em uma publicação da Editora PUC. É um dos autores mais novos publicados pela universidade.

A obra tem um sabor especial, a lembrança da mãe falecida, Maria Silvério, grande incentivadora do projeto e professora de Literatura, mas que faleceu quando o filho tinha ainda 15 anos e ainda cursava o Ensino Médio.

“Ela fez uma promessa de publicar meus escritos e meu pai cumpriu. Algumas poesias mostram o amor que eu tenho pelos dois”, relata emocionado o rapaz, que contou com a ajuda de seu João Evangelista e do seu irmão mais velho, Maykon Silvério.

PUC-VC---Diário-de-bordo---João-Felipe---ap-(26)
Parte do projeto conta ainda com recurso do próprio aluno, que trabalhou como atendente de call center para garantir a publicação. Agora ele se dedica integralmente aos estudos e ao projeto de um novo livro, em que falará sobre sua nova teoria para a Psicologia.

Os sonhos de João Felipe têm um impulso a mais do pai e do irmão. Foram eles que abriram as portas da universidade para o garoto, que inicialmente tentou seguir os passos de Maykon, que faz Engenharia da Computação, mas, depois do primeiro período, sabia que estava fugindo à sua vocação.

“É muito bom ver o trabalho concluído, mas também o reconhecimento pelo que alcancei.”

O pai nunca fez curso superior, mas não se cansa de andar com os livros do filho escritor debaixo do braço. Vende para os amigos e para os colegas de trabalho. São 500 exemplares, que estão sendo distribuídos em toda a grande Goiânia. “Meu pai não teve acesso ao ensino e às vezes não consegue entender o que eu escrevi, mas tem muito orgulho. A partir do que as pessoas falam, ele começa a ter contato com os sentimentos da obra”.

A escrita continua na vida de João Felipe, que passa parte do período acadêmico no Programa de Orientação Acadêmica, na Área 4, e grudado a um bloco para os insights que tem sobre diversos conteúdos. “É muito bom ver o trabalho concluído, mas também o reconhecimento pelo que alcancei.”

No dia a dia, o escritor presta atenção ao seu novo universo com colegas, professores e sonhos e tira dali a certeza de que é possível vencer os obstáculos e alcançar novas realidades.