Fotos: Weslley Cruz

Posso ser o advogado do meu país? Conheça a advocacia pública

Curso
Direito
Vagas por Semestre
920
Turnos disponíveis
Matutino, vespertino e noturno
Formas de ingresso
Vestibular, Vestibular Social (50% de desconto na mensalidade), Prouni, Fies, Transferências

Muito popular e necessária em todo o mundo, a advocacia é também muito antiga, ligada às primeiras civilizações do nosso planeta. Na Grécia Antiga, alguns exemplos desses defensores são grandes pensadores como Demóstenes, Péricles e Isócrates, muito conhecidos por sua retórica e persuasão. O próprio Demóstenes (284-322 a. C.), por exemplo, combateu projetos de Felipe, o rei da Macedônia, em uma série de discursos que ficaram conhecidos como “Filipícias”.

Hoje, muitos séculos depois, a função do (a) advogado (a) é uma das mais demandadas e desejadas. Contudo, não é uma profissão para todos: apesar de ser uma das áreas clássicas do Direito, exige profissionais adaptáveis, que tenham vontade constante de aprendizado e reciclagem, já que as leis mudam ao longo dos anos.

A área também não é exclusiva para profissionais liberais. Como a figura do advogado é necessária em todos os espaços, já que até mesmo o Estado precisa se defender, é comum ver esses profissionais em funções públicas, como defensores da União, de unidades federativas e de municípios. Entre as diversas possibilidades de profissionais que representam o país, os estados e os municípios judicialmente e extrajudicialmente, está o procurador da Fazenda Nacional, cargo ocupado hoje, em Cuiabá – MT, por Sérgio Andrade Filho, egresso do curso de Direito da PUC Goiás.

Fotos: Weslley Cruz

“Sou um advogado público, aprovado em concurso, e trabalho defendendo a União em causas fiscais e tributárias, em busca de recuperar créditos de débitos e dívidas vencidos”, explica ele, que se graduou em 2007 já aprovado no exame da OAB, e seguiu na iniciativa privada, até resolver se dedicar à carreira pública. “Eu sempre soube que a área que mais gostava era a advocacia, apesar de o Direito te dar várias opções de trabalho. Preferi estudar para concurso público tendo a advocacia pública como objetivo”, diz.

O esforço deu certo! Após muito estudo focado, trabalho e atualizações, Sérgio Filho conseguiu alcançar aprovações até chegar à Procuradoria da Fazenda Nacional do Estado de Mato Grosso. Hoje, se sente realizado com a posição alcançada na atuação que sempre quis. “Você utiliza seus argumentos, seu preparo, sua capacidade jurídica. Gosto também da estabilidade, da segurança que a advocacia pública me garante”.

Outras carreiras

Além da atuação na advocacia, são outras carreiras possíveis: procuradoria, promotoria, magistratura (juiz, desembargador, ministro), delegacias, além dos diversos concursos públicos que ofertam vagas para auxiliares, assessores e analistas judiciários que exigem o nível de bacharel em Direito.

Conheça o curso

Ligado à Escola de Direito e Relações Internacionais, o curso de bacharelado em Direito tem duração de cinco anos. Pela alta demanda, é ofertado nos turnos matutino, vespertino e noturno, totalizando 920 vagas.

Na PUC Goiás, o curso é estruturado em três eixos formativos: de formação fundamental, de formação profissional e de formação prática. O que significa na prática que, durante os cinco anos de graduação, o acadêmico passa por disciplinas teóricas e reflexivas como filosofia jurídica, antropologia, psicologia, economia política, história do direito, comunicação jurídica, mas também por disciplinas como o Direito Empresarial, Direito Civil, Direito Internacional entre outros.

Como diferencial, o estudante tem oportunidades que somente universidades de excelência poderiam oferecer: convênios com universidades internacionais, grandes eventos de contato com a área, além de várias opções de prática profissional, com Núcleos de Prática Jurídica (NPJ), atuação em eventos de atendimento direto à comunidade, como a Jornada da Cidadania, além de projetos de extensão universitária.

Prática profissional

Durante a graduação, os acadêmicos tem contato com a prática jurídica a partir do sétimo período, aprendendo a peticionar (com a devida supervisão de docentes) tanto casos simulados quanto reais. Os estudantes também acompanham processos em fóruns cíveis, criminais e trabalhistas, realizam atividades na Justiça Federal, como atendimentos previdenciais, e participam das mediações do 3º Centro Judiciário de Solução de Conflitos e Cidadania, instalado no Câmpus V, a partir de parceria com o Tribunal de Justiça do Estado de Goiás.

Faça PUC

Pelo importante papel social do bacharel de Direito, o curso é ofertado em diferentes modalidades de entrada. Você pode concorrer a uma vaga com bolsa de 50% no Vestibular Social para os turnos vespertino e noturno. A bolsa é garantida a todos os aprovados que se enquadram no perfil socioeconômico estabelecido no edital, então vale a pena conferir. Nesta modalidade, o estudante pode optar por concorrer utilizando as notas do Enem ou participando de uma prova.

Também são aceitas entradas pelo Vestibular Geral (prova ou Enem), pelo Prouni e pelo Fies.

Este e outros 25 cursos de graduação fazem parte do Vestibular Social, que oferece bolsas de 50% na mensalidade até o final do curso. E é do seu jeito: faça prova ou use sua nota do Enem.

Leia Mais
Fisioterapia obstétrica: técnica para tornar possível o parto natural