Nos bastidores da notícia: conheça o trabalho do assessor de imprensa

Turnos disponíveis
Matutino e Noturno
Vagas
120
Formas de ingresso
Vestibular, Vestibular Social (50% de desconto na mensalidade), Prouni, Fies.

Muita gente nem imagina, mas grande parte das informações existentes hoje, na mídia, surgem do trabalho conjunto de veículos de comunicação e assessores de imprensa. Às vezes ignorada por quem só imagina o jornalista como repórter, a carreira tem sido uma das preferidas para esses profissionais em todo o país. Foi o caso do egresso de Jornalismo Luiz Fernando Lemes, 25, que mudou de foco assim que percebeu a demanda. “Quando entrei na graduação, mal conhecia assessoria. Pensava em TV, rádio. Durante o curso, percebi que poderia ser um caminho mais interessante para mim”, ressalta.

A percepção se tornou realidade no primeiro estágio e o jovem não se afastou mais da atividade. Se saiu tão bem que foi contratado pela organização onde estagiou pela última vez, como assessor. “O que mais me anima é poder fazer essa ponte entre o jornalista e instituições e proporcionar que pessoas que tenham assuntos importantes para transmitir consigam alcançar esse objetivo”, explica.

Fotos: Ana Paula Abrão

O trabalho, que consiste em estratégias de mediação entre instituições, organizações, empresas e jornalistas, resulta na chegada de informações aos noticiários que, talvez, não estivessem ali sozinhas. É o caso de pesquisas científicas ou de saúde, por exemplo, que podem ser trabalhadas por assessores de universidades, institutos e indústrias. Nem mesmo as novidades que adoramos acompanhar, como os lançamentos dos celulares mais desejados do momento, fogem do trabalho desses profissionais. Em grandes eventos promocionais e ações de divulgação a nível global, eles atuam em conjunto com outros aliados: profissionais de publicidade, marketing, relações públicas, entre outros.

Conheça o curso

Instalado na Escola de Comunicação, no Câmpus V (Jardim Goiás), o curso tem a duração de quatro anos e é ofertado nos turnos matutino e noturno. Entre os vários diferenciais da graduação na PUC Goiás, alguns se destacam: a preocupação interdisciplinar com a gestão e o empreendedorismo, o desenvolvimento de competências e habilidades nas diferentes linguagens jornalísticas, incluindo a tendência do digital, e a oportunidade de contato direto com a comunidade a partir de práticas extensionistas.

“Existe uma intersecção entre o ensino, a pesquisa e a extensão, e a incorporação cada vez maior de metodologias ativas. Temos práticas muito interessantes nesse sentido”, reforça o coordenador do curso, professor Antônio Carlos Borges Cunha.

Outro ponto destacado pelo coordenador é a boa inserção dos estudantes e egressos no mercado e na pós-graduação, por conta de uma formação sólida e equilibrada. “Temos hoje um aluno extremamente qualificado para ir para o mercado de trabalho, da mesma forma que pode pleitear vagas em programas de pós-graduação”.

Prova viva é o egresso Luiz Fernando Lemes, que além de estar no mercado de trabalho desde sua graduação, ainda ingressou em um programa de pós-graduação em seguida. Hoje, é mestre em Comunicação pela Universidade Federal de Goiás (UFG).

Oportunidades

Outra experiência vivida por Luiz Fernando durante sua graduação na PUC Goiás já tem se tornado uma realidade entre os alunos de jornalismo: o intercâmbio. O jovem passou seis meses no Chile com bolsa de estudos, por meio de convênio com o Santander Universidades. “Foi muito enriquecedor para aprender técnicas que aqui no Brasil eu não tinha visto, ouvido falar.Me abriu a mente com relação a outros pontos de vista”, reflete.

Segundo a coordenação, ao menos um acadêmico do curso passa pela experiência, por ano. Outras oportunidades como iniciação científica (IC), monitoria, grupos de estudos e programa de voluntariado em projetos de extensão universitária também estão disponíveis para que a vivência acadêmica seja rica.

Outras carreiras

As carreiras ligadas ao jornalismo são diversas: Além das tradicionais, como repórter de televisão, rádio, impresso e internet, o profissional ainda pode atuar com comunicação digital, na produção de conteúdo, na comunicação institucional, na edição de produtos jornalísticos entre outras funções.

Faça PUC

O ingresso no curso de Jornalismo da Escola de Comunicação se dá por meio das etapas Geral e Social (bolsa de 50%) do Vestibular, ambas a partir de provas da universidade ou da utilização das notas do Enem. A última edição do Exame também pode ser utilizada para você se candidatar a uma vaga por meio do Prouni ou Fies. O curso também recebe estudantes nos processos seletivos para transferências e portadores de diploma. Ao todo, são 120 vagas por semestre.

Apoio estudantil

Se precisar de auxílio para ingressar ou permanecer na universidade, o estudante pode contar com bolsas de estudo como as do Vestibular Social, do Prouni e da OVG; bolsas de atuação específica, como as de Iniciação Científica (Pibic/CNPq e BIC/PUC); com financiamentos como o Fies, o Pode PUC e o PraValer.

Durante todo o curso, o aluno também pode integrar grupos de suporte oferecidos pela Coordenação de Assuntos Estudantis (CAE), contar com apoio psicológico gratuito ou a valores abaixo do mercado, a partir de parceiros, e se candidatar a vagas em oportunidades únicas que só uma universidade com o tamanho e o prestígio da PUC Goiás podem oferecer, como intercâmbios, workshops e grandes eventos científicos e comunitários de alcance regional, nacional e internacional.

Este e outros 25 cursos de graduação fazem parte do Vestibular Social, que oferece bolsas de 50% na mensalidade até o final do curso. E é do seu jeito: faça prova ou use sua nota do Enem.

Leia Mais
Novos mestres e doutores da PUC: os vencedores da Educação