Profissionais da Enfermagem assumem papel determinante nos cuidados com a saúde e no zelo durante períodos de doença

A decisão pela Enfermagem foi tomada da noite para noite. Após conversar com uma profissional da área, a egressa da PUC Goiás, Marcelle Blaser, não teve dúvidas sobre qual caminho seguir. A inserção no mercado de trabalho não foi fácil e a dedicação já começou desde o primeiro período do curso: no decorrer da graduação, foi voluntária na Emergência do Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo) e também fez um estágio extracurricular no Hospital São Salvador. Aos 31 anos, a enfermeira se declara uma apaixonada pela profissão e realizada na carreira.
Essa é uma das histórias entre as de mais de 4 mil egressos formados pelo curso de Enfermagem da PUC Goiás. No caso desta profissão, as habilidades perpassam a competência técnica, científica e humana para cuidar de pessoas na relação saúde e doença, com a colaboração de toda a equipe profissional.
“A formação tem que ser geral para que o profissional domine o trabalho com as tecnologias. O avanço tecnológico é muito grande, são vários equipamentos e o enfermeiro precisa estar atualizado”, ressalta a coordenadora do curso de Enfermagem da PUC Goiás, profa. Vanusa Claudete. A dedicação, a responsabilidade, a ética e o rigor levam os aspirantes na carreira a ganhar um bom espaço no mercado de trabalho

150629---Puc-VC-Vanusa---WA-071

Vocação

Marcelle atuou na área de terapia intensiva do Centro de Reabilitação e Readaptação Dr. Henrique Santillo (Crer) entre 2007 e 2013 e agora trabalha no projeto Crer em Casa, iniciativa que completou um ano em março. Trata-se de um serviço de assistência domiciliar em que o enfermeiro tem um vínculo com a família por meio das visitas. “Podemos dar o tempo disponível e ouvir a família ou o desabafo, porque aquilo é mais importante ou mais rico que qualquer dinheiro no mundo”, diz. Para a enfermeira, o ensino, os estágios e toda a prática envolvida no cuidar durante a graduação foram fundamentais para que ela sentisse segurança ao exercer suas tarefas.
Lara Isa também é egressa da PUC e atualmente cursa o mestrado em Atenção à Saúde da universidade. Professora em uma faculdade da capital, a enfermeira buscou a pós-graduação para qualificar a sua formação. Com um livro publicado na área de Enfermagem, ela almeja terminar o mestrado e iniciar o curso de doutorado. “Quem sabe, um dia, posso compor o corpo docente da PUC Goiás?”

onde

Enfermagem do trabalho, do centro cirúrgico e central de material, Unidade de Terapia Intensiva (UTI), oncologia, geriatria, controle de infecção hospitalar, dentre outras. Novas demandas em dermatologia, enfermagem e obstetrícia, pediatria, neonatologia e áreas afins, além da carreira acadêmica.

quanto

O piso salarial é definido pelo Sindicato dos Enfermeiros de Goiás. Atualmente, para carga horária de 36 horas, o piso salarial é de R$ 1.731,00. Para 44 horas, o salário inicial é de R$ 2.397,00, dependendo do cargo ocupado.

curso

O curso de Enfermagem da PUC Goiás é pioneiro no Estado: a primeira turma surgiu em 1943. Até então, mais de 4 mil profissionais foram graduados. Inicialmente oferecido em turno integral, desde 2013 passou a funcionar em período único (matutino ou noturno), com a duração de cinco anos.